BRUNO ARRUDA – O MAIS NOVO INFLUENCER DA FPAC

Por Lara Gabrielli

Essa semana a galera do RP Lab teve a oportunidade de entrevistar um dos professores mais queridos, e agora influencer, Bruno Arruda. Formado em Rádio e TV e apaixonado pelo que faz, Bruno contou como surgiu a ideia de transmitir o conhecimento da área fora das salas de aula por meio das redes sociais.

Confira o que o nosso professor contou sobre esse projeto:

Como surgiu a ideia de transmitir os conhecimentos que você tem sobre a sua área além das salas de aulas?

Eu sempre trabalhei com comunicação, gravação, principalmente, desde quando entrei na faculdade de Rádio e TV, e cinco semestres atrás entrei na FPAC para começar a dar aula. Eu me encontrei nesse meio. Nunca havia ensinado nada a ninguém, sempre fiz ao invés de ensinar, mas me encantei pela sala de aula e a troca de conhecimentos com os alunos. E como eu sempre trabalhei com produção de conteúdo, seja ela em vídeo, foto ou texto, pensei: “Por que não produzir um conteúdo ali no Instagram e assim eu ensino um pouco também ao invés de ficar postando sobre a minha vida, uma foto do gato ou eu tomando sorvete? ”

Eu vejo essa rede como algo supérfluo, onde as pessoas a usam como uma vitrine de suas vidas, então cansei disso e decidi produzir um conteúdo para quem me segue.

E como os alunos estão reagindo?

Como muitos alunos já me seguem, foi legal ver a recepção que tiveram comigo, de me chamarem no WhatsApp e dizerem: “Nossa, está muito legal! Parece um blogueirinho. Um influencer.”

Além de muito curioso também, porque não só os alunos me deram esse retorno, mas pessoas que estudaram comigo na escola e me seguem, ou amigos da faculdade e familiares, comentando: “Agora você faz vídeo, que legal! Muito massa! ”. Curti bastante.

Em seu feed, a primeira postagem é sobre roteirização. Isso é um assunto muito comum na área de RTVI, mas assim como diz em um dos vídeos, o roteiro também é muito importante para outras áreas. Para quem está entrando agora na FPAC ou para quem não tem esse conhecimento, o que seria exatamente um roteiro e qual a importância de utilizá-lo?

Uma coisa muito legal sobre a FPAC é que nos primeiros semestres as áreas são unificadas, então todos podem ter uma visão geral sobre esse assunto. As áreas de RP e PP também têm uma noção de roteiro e fotografia. Então qualquer produto audiovisual que a gente fizer, é necessário ter um roteiro. Isso que estamos fazendo, essas perguntas que você desenvolveu, é um roteiro.

Às vezes acontece intuitivamente. Você pode nem saber o que é um roteiro, as técnicas necessárias ou a sua formatação, mas fez um. Mesmo não colocando nada no papel, ao fazer um vídeo ou um story no Instagram, você já pensa: “Eu vou começar falando isso, depois uma coisa, e em seguida outra.” E quando você vai perguntar para a pessoa, ela responde: “Não, isso não teve um roteiro. Fiz de cabeça.” Então se teve um planejamento, teve um roteiro.

E é isso que eu falo no vídeo, você não precisa fazer um roteiro para um programa do Faustão ou do Fantástico, só de apresentar um planejamento feito em PowerPoint para o seu chefe em uma reunião, você já é um roteirista, porque é preciso ter uma linha de raciocínio nos seus slides.

Já linkando o mesmo assunto, em outra postagem você comenta sobre a utilização de um roteiro no Big Brother Brasil. Na concepção de muitos, o BBB é apenas entretenimento, mas há muitas coisas por trás das câmeras, não é? Então um reality show tão grande como o Big Brother Brasil, é possível ser roteirizado?

Sim, sem dúvidas! É que o roteiro do Big Brother não é aquilo que as pessoas imaginam, que vai ter um roteirista escrevendo para a Karol Conká falar que é educada por ter nascido em Curitiba. Não tem a menor condição disso existir, não faz sentido. Só de colocar um monte de gente em uma casa e filmá-los, vão surgir pérolas como essa, porque são seres humanos.

Mas é claro, existe o roteiro do apresentador, das provas, para saber a ordem do dia, ou o texto que vai ser falado em uma campanha como um merchant para o PicPay a respeito do que o cliente quer que a gente entregue. Então, sim, tudo é roteirizado, sem dúvidas.

Nós, da área de comunicação, temos desafios constantes a respeito das ideias, seja para criação de uma campanha, um podcast e outras coisas, mas muitas vezes nós sofremos o chamado bloqueio criativo. Então sobre essa questão, você tem alguma dica para nos passar?

Sim. Ideia é um ponto muito importante da nossa profissão. Seja em RP, PP ou RTVI, as pessoas precisam ser criativas, então se for para elencar dicas, eu acho que o principal é ter muitas referências, como em filmes, seriados, logos, cores, lugares, arquiteturas, museus, enfim, tudo isso ajuda no final das contas.

O que às vezes as pessoas confundem é em achar que existe uma receita para ter ideias, e não tem. Pode acontecer de durante um banho uma ideia surgir, aí você senta e escreve, e era justamente aquilo que precisava. Mas também, pode ser que essa ideia dure dias para surgir, e o importante é não desistir. Assista um filme, ouça um podcast, abra um site com referências, ou vá atrás do que estão falando sobre esse assunto em outros lugares. É preciso exercitar a cabeça para que essas ideias surjam.

O ano já começou com muitas novidades, e a gente quer saber se ao longo dele tem mais coisas por vir?

Com certeza! Já preparei um novo conteúdo sobre o Big Brother Brasil bem interessante, e sobre a FPAC, eu e os outros professores já preparamos bastante coisa legal para a primeira semana e para os projetos integrados também.

 

E aí? Gostou do nosso bate-papo? Siga as nossas redes sociais e a do professor Bruno para ficar por dentro de mais novidades.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.