O futebol feminino e seus impactos – Bom de bola, Bom na escola

Você sabia que houve um tempo em que as mulheres foram proibidas de jogar?

Por mais que não aparente, o futebol feminino está presente em nossa realidade há mais tempo do que imaginamos. No entanto, em 1941 fomos proibidas de jogar, tendo a liberação novamente apenas em 1979.

De lá pra cá conseguimos ocupar um espaço no futebol que ainda não é reconhecido, mas a cada novo ano aumentamos o número de conquistas. Em setembro deste ano, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) informou que não haverá distinção de salários entre homens e mulheres. Como consequência dessas conquistas, estamos ocupando mais espaço nas mídias. Como por exemplo, a jogadora Marta eleita seis vezes melhor jogadora do mundo pela Federação Internacional de Futebol, que é a estrela da campanha publicitária ‘’veio para ficar’’ da marca Avon e também participou da campanha da cerveja Brahma, entre outras.

Além de participarem de trabalhos publicitários, as jogadoras também participam de campanhas beneficentes como a vaquinha criada para ajudar o SUS a arrecadar fundos para ajudar no combate ao coronavírus.

O futebol feminino no Brasil, atualmente tem diversos talentos que servem de inspiração para muitas crianças e mulheres. As jogadoras da ONG Bom de bola, Bom na escola as usam como referência em seu dia a dia e almejam uma carreira como a delas. Apesar de tudo que foi falado acima, o futebol feminino ainda não é reconhecido como deveria, mas esperamos que com todas as ações que estão sendo tomadas possa-se abrir mais portas para novos talentos e permitir que os sonhos de meninas, como o das jogadoras do Bom de bola, Bom na escola se realizem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.